19 de abril de 2009

Fogo selvagem

Poetas participantes:

1- Borbollettah Sandra Regina
2- Clara da Costa
3- Naidaterra
4- Mikas
5- Giovânia Correia
6- Beki Bassan
7- Marcial Salaverry
8- Candy Borges
9- Paulo Fernando
10- Ezingra
11- Gildina Roriz (Magy)
12- Zenaide Giovinazzo
13- Sandra Galante
14- André Z
15- Ruth Gentil Sivieri
16- Isabel Passos
17- Vera Chvatal
18- Nyl Gar
19- Maria Thereza Neves
20- Ilze Soares
21- Candy Borges
22- José Ernesto Ferraresso
23- Augusta Melo
24- Schyrlei Pinheiro
25- Heliomar
26- Jorge Linhaça

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

1- FOGO SELVAGEM
Borbollettah Sandra Regina

O amor é um fogo selvagem
queima sem consumir, sem machucar
e faz a vida incendiar.

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

2- FOGO SELVAGEM
Clara da Costa

Meu olhar incendeia
como fogo selvagem
quando tocas meu corpo nu...

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

3- CHAMA ARDENTE

O amor é uma chama ardente
que nos chama para vida
sem nada nos perguntar...

Naidaterra

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

4- Amor e paixão são fogo, queimam o coração.
Repentinamente a chama se apaga só fica o carvão.
E lágrima que reclama não ter mais paixão...

Mikas

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

5- Fogo selvagem
Giovânia Correia

A saudade é um fogo selvagem.
Que dilacera um coração.
O deixando em pedacinhos.

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

6- FOGO SELVAGEM
Beki Bassan

Podemos dizer que
o fogo selvagem ativa o amor
trazendo alegria e esperança

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

7- FOGO SELVAGEM
Marcial Salaverry

O amor chega a ser selvagem,
propicia-nos uma deliciosa viagem,
nossos instintos aquecendo e despertando...

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

8- Paixão... Torrente de emoções
Incontrolável, consome a razão
Fogo selvagem... Devasta o coração.

Candy Borges

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

9- O amor é um grito,
um agito da alma,
uma paz, que queima e acalma.

Paulo Fernando

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

10- Fogo Selvagem!

Na sinfonia da vida e do amor
carrego o fogo selvagem, dentro do meu ser
que desperta com ardor

Ezingra

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

11- FOGO SELVAGEM

Como um fogo selvagem
sua lembrança consome meus dias.
Em tudo vejo sua imagem.

Gildina Roriz (Magy)

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

12- FOGO SELVAGEM
Zenaide Giovinazzo

Carruagem de fogo...
Seu amor preciso
leva-me ao paraíso!

SP/26/02/09

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

13- FOGO SELVAGEM
Sandra Galante

Ah! fogo selvagem que me atiça
viro loba e uivo por você
vem me incendiar, vem?

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

14- FOGO SELVAGEM

Na noite não encontro o teu corpo
Apenas solidão das paredes nuas
Queimo e choro teu nome

André Z

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

15- AMOR ÍGNEO
Ruth Gentil Sivieri

Venha logo, corra!
Apague o fogo de meu coração
antes que eu morra!

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

16- FOGO SELVAGEM...
Isabel Passos

sentimos no coração a valer,
quando aquele calor faz doer,
se estamos sós no amor...

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

17- FOGO SELVAGEM...

Teu olhar no meu
Incandescente de paixão
Queima e aquece o meu coração

Vera Chvatal

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

18- Fogo Selvagem

Selva lembra fúria.
E assim é a paixão,
O fogo que consome até a última dor...

Nyl Gar
26/03/2009
15:20 hs

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

19- Paixões

palavras loucas
devassam curvas em silêncio
encontros insanos nas entrelinhas

Maria Thereza Neves

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

20- Fogo que vem da paixão,
arde no coração
ate acabar o carvão

Ilze Soares

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

21- FOGO SELVAGEM

Louco amor que instiga,
queima... Me devassa as entranhas
feito fogo selvagem... Me consome

Candy Borges

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

22- Paixão Selvagem
José Ernesto Ferraresso

Paixão é fogo que arde,
que incendeia meu corpo,
quando ficas distante e penso em ti...

Serra Negra
26/03/09

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

23- Fogo Selvagem

A paixão é fogo selvagem
Queima o corpo e incendeia a alma,
mas alimenta o coração!

Augusta Melo

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

24- FOGO SELVAGEM
Schyrlei Pinheiro

Arde sem transformar a brasa em carvão.
Livre, eu vivo essa paixão
que aquece o meu coração

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

25- FOGO SELVAGEM

O meu corpo em chamas
Clama por teu corpo
O fogo selvagem que me seduz

Heliomar

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

26- O AMOR É

Fogo que queima e abrasa;
pássaro de longas asas:
O fênix do coração.

Jorge Linhaça

ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ ઇ‍ઉ

Nenhum comentário:

ઇ‍ઉ Vôos ઇ‍ઉ da ઇ‍ઉ Borbollettah ઇ‍ઉ
ઇ‍ઉ Borboletas ઇ‍ઉ

Aos casais... Ante a espessa ramaria
verde, e rendada ao sol deste verão
livres, felizes, cheias de alegria,
as borboletas pelos céus se vão...

Despreocupadas... Pela floração
se perdem, numa inquieta correria...
Onde foram? E em que lugar estão?
Já não se vê o olhar que as perseguia...

Mas, de repente, voltam pelo espaço,
trêmulas e amorosas de cansaço,
asas roxas e azuis ou violetas...

E invejoso pensei, vendo-as pelo ar:
quem me dera nascer, viver e amar,
como aqueles casais de borboletas!

(J.G.de Araujo Jorge)